A Realidade do Marketing Esportivo. Por Lucas Rial Butier, Coordenador de marketing do internacional



O Blog 100% Esporte bateu um papo com o nosso amigo Lucas Rial Butier, que hoje é coordenador de marketing do Sport Club Internacional e Conselheiro Municipal do Desporto de Porto Alegre sobre Marketing Esportivo.


Sigam o Lucas no Instagram: @lucasbutier

https://instagram.com/lucasbutier?utm_medium=copy_link




Boa leitura!


*Até hoje quando se fala em Marketing Esportivo as pessoas associam diretamente ao futebol. O que é o Marketing Esportivo? *

Bom, realmente existe este pensamento coletivo acerca do campo de atuação do Marketing Esportivo. É preciso esclarecermos que a prática esportiva não se limita somente ao futebol, portanto, o Marketing Esportivo também não é um privilégio deste esporte. Em outras palavras, este campo do Marketing deveria estar presente em todos os esportes (amadores ou profissionais) pois se trata de uma área que visa oportunizar, gerar e intermediar oportunidades financeiras e lucrativas aos clubes.


*O Patrocínio Esportivo tem um potencial incrível com retorno de investimento no mínimo de 1/4, porém, algumas modalidades não conseguem despertar interesse nos patrocinadores. Por que isso ocorre?*

Infelizmente isto é uma realidade. Acredito que a razão de algumas modalidades não despertarem o interesse de patrocinadores estejam diretamente ligadas a ausência de uma equipe de Marketing qualificada. Isto porque, um dos primeiros passos para despertar o interesse dos patrocinadores, é investir em projetos que objetivem, aproximar cada vez mais o público desta modalidade. Esta, é uma tarefa do Marketing Esportivo.


*Já se foi o tempo que as marcas apenas estampavam as marcas nas camisas como forma de retorno de patrocínio. A questão agora é gerar negócios, ou seja, vendas! Você concorda que o sucesso e consequente retorno da patrocínio está ligado diretamente com a forma de ativação das marcas junto ao eventos, aos torcedores e etc? * Como mencionei na pergunta anterior, a relação clube-público é extremamente atrativa para os patrocinadores, na verdade é o que eles buscam. Hoje em dia, a visibilidade que (no caso do futebol), entrega aos patrocinadores é um negócio muito rentável para ambos. O simples fato de estampar a camisa, serve apenas para reforço de marca mas, para gerar receita, o patrocinador deve investir também em ativações deste patrocínio, aproveitando as redes sociais. Um bom exemplo recente são as ativações da varejista Americanas, que estampará sua marca nas camisas da Dupla Gre-Nal e anunciou a parceria ativando-a através de uma brincadeira entre dois ex atletas identificados com as torcidas (Perdigão e Douglas).


*Quando nos referimos a atletas amadores que buscam patrocínio ou algum pequeno apoio para poder reduzir custos e qualificar seu treinamento. Que dica você pode dar?*

Primeiro, acho importante explorarmos este teu levantamento, quanto aos atletas amadores e seus problemas relativos custos x treinamento. Acredito, que o incentivo governamental seria uma importante via de acesso e de visibilidade para que atletas e instituições de esporte amador, pudessem almejar patrocínios que colaborassem com os seus custos. Leis de incentivo ao esporte são extremamente burocráticas, o que acaba por privilegiar sempre os que se encontram mais organizados e preparados. Sendo assim, esta seria minha dica se preparem, estudem os editais busquem por pessoas qualificadas para qualquer esclarecimento e invistam em uma equipe de marketing esportivo, pois este é um diferencial importante para se obter sucesso em um edital. Digo isto, porque já trabalhei com políticas públicas voltadas ao incentivo esportivo e, embora sejam muitas vezes burocráticas, são muito efetivas e podem ser o diferencial na preparação de um atleta ou equipe esportiva

195 visualizações7 comentários