top of page

Coach Carson Siega: conheça seus sabotadores e qualifique sua vida pessoal e profissional

Desde o ano passado, com o início da pandemia, a humanidade está tendo que se reinventar, na busca de novas formas de executar seu trabalho, adaptando-se às novas circunstâncias. Nesse sentido, o autoconhecimento é de grande valia, pois dessa forma podemos focar em nossos talentos e minimizar as interferências ou obstáculos internos. Como uma forma de contribuição aos nossos leitores, fomos consultar nosso amigo e membro honorário do 100% Esporte, Prof. Carson Siega, CREF 494 G/RS, que hoje, é Coach e Especialista em Sabotadores, para trazer um texto sobre seu trabalho atual, o qual consideramos de extrema valia, principalmente, nesse momento.


Sigam o Carson no instagram:

@carsonsiega


Boa Leitura!

Abraço do Kaster


Sabotadores Internos – O que são, como se criam, quais são os principais padrões.

Carson Siega[1]

Todos nós possuímos sabotadores internos. Eles são um fenômeno universal e a questão não é se os temos ou não, mas quais temos e o quão fortes eles são. Em seu livro “Inteligência Positiva” (2012), Shirzad Chamine define sabotadores como sendo “um conjunto de padrões mentais automáticos e habituais, desenvolvidos na infância, para nossa sobrevivência física e emocional, cada um com sua própria voz, crença e suposições que trabalham contra o que é melhor para você. Eles permanecem de forma mais sutil em nossas mentes na idade adulta.” Esses padrões mentais nos atrapalham em todas as áreas. De acordo com o autor, somente 20% dos indivíduos e equipes alcançam seu verdadeiro potencial. O restante das pessoas desperdiçam energia vital e muito tempo por causa da ação dos sabotadores.


A luta da Mente Sábia X Sabotadores

Quando utilizamos nosso potencial, usando a mente a nosso favor, estamos no Modo Sábio. Quando os padrões mentais negativos dominam, estamos no Modo Sabotador. Qualquer um dos modos que você deixe prevalecer, por muito tempo, fortalecerá “a musculatura do cérebro” e definirá sua continuidade.


Inteligência Positiva – QP

A Inteligência Positiva mede a força relativa dos dois modos da sua mente. Uma Inteligência Positiva alta significa que sua mente age bem mais como sua amiga do que como inimiga. Por outro lado, uma Inteligência Positiva Baixa significa que sua mente age mais tempo lhe sabotando. A Inteligência Positiva é medida pelo QP – Quociente de Inteligência Positiva. Expressa em percentual, indo de 0 a 100. Por exemplo, um QP de 75 significa que sua mente age, em seu favor, 75% das vezes, lhe sabotando 25% das vezes. 80% dos indivíduos e equipes pontuam abaixo desse ponto de virada, portanto longe de atingir seu potencial de sucesso e felicidade. O “ponto de virada” é 75 e, não 50. Por que? Porque pelo fato de nosso cérebro ser programado para a nossa sobrevivência e desenvolvimento, ele tende a se “agarrar ao que é negativo e amplificar” essa ameaça, ignorando o positivo. Dessa forma, para pensamento negativo são necessários três pensamentos positivos para anulá-lo. Então, a não ser que utilize essa fórmula, diariamente, em sua vida, seu trabalho, e suas relações, para neutralizar os pensamentos negativos, você será puxado para baixo! Agora que você entendeu que sabotadores são inimigos internos e um fenômeno universal, você deve estar se perguntando, mas afinal quem são esses sabotadores? Para você ter uma ideia de como eles funcionam, Chamine (2012) descreve os dez tipos de sabotadores mais comuns:


1 – O Crítico: Ele é o considerado o principal sabotador devido ao potencial destrutivo que carrega e por afetar todo mundo. Faz com que nós encontremos defeitos em nós mesmos e nos outros, causando estresse, ansiedade, decepção, culpa e vergonha. A sua voz ganha força por, comumente, ser confundida com a voz da razão. Ele se justifica com a mentira de ser necessário para evitar que sejamos preguiçosos e sem ambição. Ele pode ser crítico a nós mesmos, aos outros e às circunstâncias. Provoca ansiedade, estresse, raiva, decepção, vergonha e/ou culpa e outros sentimentos negativos. Ele se alia aos principais sabotadores, potencializando-os. É considerado o “chefe da gangue” dos sabotadores.


2 – O Insistente: Nos faz buscar, em demasia, a necessidade de perfeição, organização e ordem. Gera ansiedade, frustração e deixando as pessoas nervosas. É um crítico a nós mesmos e aos demais muito intenso. Ele tende a nos sobrecarregar por ser muito rígido, inflexível! Nos faz gastar muita energia. A mentira que que esse sabotador prega é que o perfeccionismo é algo sempre bom e que não pagamos um preço tão alto, por ele. Mas qual seria a diferença entre perfeccionismo e excelência? O perfeccionismo vem da fragilidade emocional, de um desejo de provar que não somos ruins ou incapazes. Isso traz ansiedade, tristeza, desmotivação. Já a excelência vem do reconhecimento de nossas qualidades trazendo entusiasmo, energia e empolgação.


3 – O Prestativo: Faz com que sempre tenhamos que ajudar alguém. Nos obriga a tentar conquistar a afeição e aceitação ao constantemente ajudar, elogiar e agradar outras pessoas. Não nos deixa dizer não. Seu comportamento faz com que nunca digamos, abertamente, o que queremos por não nos acharmos dignos ou com merecimento. Com isso, ele nos faz deixar as próprias necessidades de lado, fazendo com que nos sintamos ressentidos dos outros, que podem acabar se tornando dependentes.


4 – O Hiper-Realizador: Faz com que estejamos, sempre, nos cobrando para realizar mais coisas. Para termos validação e respeito, nos tornamos dependentes de desempenho e realizações constantes. Faz com que foquemos em obter sucesso exterior, em vez do interior. Não nos deixa celebrarmos as realizações e já nos faz pensar no próximo evento. Costuma nos levar ao vício em trabalho e na perda de contato com necessidades emocionais e de relacionamento mais profundas.

5 – A Vítima: Faz nos sentirmos temperamentais e emotivos, a fim de chamarmos atenção e ganharmos afeto. Pode resultar em uma tendência a nos martirizarmos e a sermos pessimistas. Como consequência, desperdiçamos nossa energia emocional e mental e fazemos com que os outros se sintam impotentes, frustrados ou culpados por não conseguirem nos fazer felizes, por muito tempo. Para fugirmos desse sabotador precisamos entender que a vitimização não é a melhor maneira de atrair cuidado e atenção para nós mesmos.


6 – O Hiper-Racional: Faz de nós pessoas lógicas e racionais, ao extremo, com dificuldades em aceitar emoções, as quais consideramos “sentimentalismo”, nos deixando impacientes com esse tipo de manifestação. Isso prejudica nossos relacionamentos. Podemos acabar sendo vistos como frios, distantes ou, até mesmo, arrogantes e que tendemos a “intimidar as pessoas” através de nosso intelecto. Ele limita nossa flexibilidade e profundidade em relacionamentos, no trabalho e em nossa vida pessoal.


7 – O Hipervigilante: Faz com que nos sintamos, de forma contínua e intensa, ansiosos, em relação a todos os perigos que nos cercam e a tudo o que poderia dar errado. Tenta nos prevenir contra todos os riscos. Nos faz ver perigo em tudo. Como acabamos ficando sempre em estado de alerta, isso resulta em grande quantidade de estresse que nos leva e também aos outros, à exaustão.


8 – O Inquieto: Nos faz buscar, constantemente, emoções maiores e nos mantêm sempre ocupado. Ele não permite que nos sintamos em paz e que tenhamos alegria com nossa atividade atual. Está sempre nos fazendo buscar prazer na próxima atividade. Ao pensarmos de maneira equivocada, que nos mantendo ocupados, estaremos vivendo intensamente, acabamos nos sobrecarregando e perdendo o foco no que realmente importa. As outras pessoas sentem dificuldade em nos acompanhar, quando somos guiados pelo Inquieto; costumam se sentir distantes.


9 – O Controlador: Nos faz funcionar movidos a uma necessidade de estar no comando. Com esse sabotador temos dificuldade em delegar tarefas aos outros. E isso gera impaciência e ansiedade, quando não é possível ter o controle sobre situações e dirigir as ações das pessoas, de acordo com nossa vontade. A mentira que o Controlador prega é que isso se faz necessário, para extrair os melhores resultados das pessoas ao nosso redor. Mas, na verdade, isso nos faz impedir que os outros exercitem e desenvolvam sua capacidade plena.


10 – O Esquivo: Ele faz com que nos concentremos, de forma extrema, no que é prazeroso e positivo, evitando conflitos e tarefas difíceis e desagradáveis. O Esquivo nos leva a procrastinar e a fugir de conflitos. Isso pode resultar num ciclo passivo/agressivo, onde podemos “ter explosões”, devido a conflitos sufocados que foram deixados de lado. A mentira desse sabotador é que nós estamos sendo positivos, e não evitando os verdadeiros problemas.

Esses sabotadores são responsáveis pelas sensações de desmotivação e de fracasso experimentadas na vida profissional e pessoal. Por isso é importante detectá-los na sua rotina e combatê-los. Para ser bem-sucedido é importante buscar sempre o equilíbrio.


Para enfraquecer seu sabotador mais alto:

  1. Consciência: Identificar o sabotador e perceber em qual ou quais situações ele aparece ou atua.

  2. Rotule: É meu “Insistente” que está agindo, não sou eu.

  3. Ação/Estratégia: Planejar e executar qual ação será feita para neutralizar o sabotador:

● Escutar o que diz o pensamento e se tem voz:

● Masculina ou feminina?

● Dar um apelido ao sabotador: Zeca chato, inútil, etc.

● Criar uma frase para neutralizá-lo.

● Executar a frase, toda vez que sentir que ele está atuando.

Obs: Esse trabalho terá de ser contínuo e persistente para virar um novo hábito.


Como fortalecer seu QP: Para entender o Cérebro QP, é útil entender seu congênere: O Cérebro Sobrevivente. Ele consiste nas partes mais primitivas do cérebro, o tronco cerebral e o sistema límbico, ambos envolvidos em desencadear nossa resposta ao perigo. O lado esquerdo do cérebro é hemisfério primário envolvido nas relações de sobre vivência. É o responsável pela Fuga ou Ataque. Isso reduz o foco do corpo e reduz o foco da mente, em detrimento de outras funções. Essas reações ativam nossos sabotadores e diminuem os poderes do sábio que são mais voltados para desenvolvimento do que para a sobrevivência. Quando somos crianças, as forças do cérebro sobrevivente e do cérebro QP são equilibradas. Conforme nos tornamos adultos, nosso cérebro sobrevivente é continuamente exercitado, recompensado e fortalecido, enquanto o cérebro QP se atrofia. Na grande maioria dos adultos, os músculos do cérebro sobrevivente são bem mais fortes que os do cérebro QP (lado direito do cérebro). A boa notícia é que os músculos do cérebro QP respondem rápido ao exercício e podem desenvolver uma grande força em um tempo relativamente curto. Numerosos estudos relacionaram a atenção concentrada em sensações físicas do momento com a ativação de regiões do cérebro QP. Esses estudos mostraram, também que esse exercício reprograma, permanentemente, o cérebro ao formar novos caminhos neurais, que permanecem ativos, mesmo quando a pessoa não está mais concentrada no exercício, de forma similar aos músculos que mantêm o tônus, depois que você sai da academia.


EXERCITE A PRESENÇA PLENA VÁRIAS VEZES AOS DIA. Isso fortalece o cérebro QP!

Cinco poderes do Sábio – Mente Sábia:

Empatia, por nós mesmos e pelos outros;

Explorar, com grande curiosidade todas as possibilidades que não veríamos, caso estivéssemos na defensiva;

Inovação, dar vazão à criatividade para se sobre a eventuais erros;

Navegar, entre novas direções, sem medo, escolhendo caminhos que se alinham melhor com nossos valores e propósitos mais arraigados;

Ativar nossa intenção de gerar resultados positivos.

Referência:

CHAMINE, Shirzad. Inteligência positiva – Por que só 20% das equipes e dos indivíduos alcançam seu verdadeiro potencial e como v

ocê pode alcançar o seu. Rio de Janeiro. Fontana.



[1] Carson Siega - Master Coach – PCA: Professional Coaching Alliance, Especialista em Sabotadores, Profissional de Educação Física.

1 comentário

1 Comment


Guest
Jun 23, 2021

Assista a entrevista do Coach Carson Siega. Muito bom!

https://youtu.be/gzgjYLARhEw


Like
bottom of page