Papo Empreendedor apresenta: O profissional empreendedor- Inspiração e Gestão na Academia Quantum

O Papo Empreendedor desta semana, conversa com o profissional de educação física e empresário Sênior Felipe, proprietário da Academia Quantum. Acompanhe esta história de sucesso e inspiradora!



1- Olá Felipe! Queremos te conhecer melhor. Apresente-se para o Papo Empreendedor!

Olá, meu nome é Sênior Felipe Ferraz, tenho 46 anos e tive toda minha vida muito ligada ao esporte, mais especificamente ao triathlon, e mais especificamente ainda às provas longas, de Ironman. Durante muitos anos me dediquei de forma bastante intensa aos treinamentos e competições, o que me fez evoluir muito na modalidade, mas sem dúvida, muito mais como ser humano, aprendendo a lidar diariamente com desafios. Hoje meu foco é total na minha empresa, a Academia Quantum. Sou casado, tenho duas filhas, a Gabriela de dez anos e a Isabela de quatro.



2- Qual sua formação acadêmica?

Meu grau de Licenciatura Plena foi conquistado em 2001 na UFRGS. Anos mais tarde, concluí um MBA em Gestão Empresarial na FGV e atualmente sou mestrando na mesma universidade onde me formei, tendo como objeto de estudo a dupla atuação do professor X Gestor. Se somos formados professores com habilidades e capacitações tão específicas para atuar em academias, escolas, como lidamos com a posição de gestor??


3- Quando e porque, você decidiu empreender na área da Educação Física?


A decisão de abrir meu negócio é construída através de uma longa trajetória. Já na infância, me recordo que organizava campeonatos de futebol de campo e de botão entre os amigos, com premiações, camisetas, enfim, fato é que gerava grande engajamento. A forte ligação com o esporte me levou para a Educação Física e a necessidade financeira me levou ao mercado de trabalho já no primeiro semestre da graduação. Tive a felicidade de trabalhar em um local que sempre me valorizou, mesmo sendo estagiário, e procurava retribuir inovando, promovendo eventos, criando novos produtos, e boa parte dessas tentativas obtinham mais êxito que frustrações. O problema é que para cada evento acontecer efetivamente, uma dezena ficava no papel. O responsável pelo local era bastante conservador e até mesmo pessimista, fazendo com que me sentisse “podado”. Cheio de ideias, vontade de fazer e acontecer, mas esbarrava no chefe. Aos poucos, essas frustrações começaram a me fazer pensar na ideia de abrir o meu negócio, a minha academia, onde poderia colocar em prática todas as minhas ideias e minha capacidade de reunir pessoas, e depois de muito tempo (um pouco por medo e um pouco pela frágil capacidade financeira), pedi demissão de onde trabalhava e com o dinheiro que ganhei na rescisão investi na minha academia, uma pequena sala de 48 m².


4- Como fundador da Academia Quantum, apresente a para os nossos leitores.


A Academia Quantum foi fundada há 16 anos, no dia 11 de junho de 2005, numa pequena sala comercial térrea com localização bem próxima ao Shopping Iguatemi. O foco sempre foi promoção de saúde. Resultados de estética poderiam vir, mas como consequência de um trabalho voltado para melhoria da saúde dos alunos. Para atingir esta meta, no início as ferramentas eram a musculação e o Grupo de corrida, que foi criado de maneira absolutamente espontânea, sem um maior planejamento, consequência de minhas participações nas provas de corrida e triathlon. Estava sempre treinando, e essa disposição toda, acabou “contaminando” boa parte dos alunos que frequentavam a academia. Depois de 5 anos, surgiu a oportunidade de mudança para um local maior, na Av. João Wallig, com estacionamento próprio e neste, estamos até hoje. O desafio foi e é gigante. Essa alteração de tamanho físico, trouxe junto uma enorme alteração em termos de investimento, contratação de pessoal, profissionalização e terceirização de serviços, enfim, o até então “faz tudo”, sofreu um grande choque e teve que correr atrás de conhecimento e qualificação.

Hoje a Quantum segue com o mesmo foco: Saúde. Mas agora, para entregá-la a nossos alunos dispomos de mais ferramentas. Além da musculação, oferecemos o treinamento funcional, o pilates e o serviço de fisioterapia, como um integrador de todas essas modalidades atuando desde a profilaxia até possíveis situações de recuperação mesmo.

Nosso público é formado por pessoas que valorizam a atividade física e entendem a sua relevância para sua saúde. Mais do que “malhar”, aprendem a realizar a atividade física na forma e na intensidade corretas, entendendo e respeitando suas qualidades e limitações. Temos a certeza de que o aluno que treina conosco, leva um legado bastante interessante para sua vida, se por acaso tiver que parar de frequentar nossa Academia.

5- Quais os maiores DESAFIOS na gestão da Quantum?

De uns tempos para cá, essa palavra tomou uma proporção que nunca antes imaginara. A pandemia foi sem dúvida algo marcante na nossa trajetória e ainda está difícil retomar a rotina normal, se é que retomaremos “o normal”. Temos que enxergar oportunidades nas crises, então algumas alterações nos processos e na equipe foram feitas, mas confesso que ainda estamos vivendo um percurso de retomada. Os alunos ainda vêm para a academia com algum receio. Nossa forma muito acolhedora de trabalho teve que ser adaptada. As constantes festas de integração foram adiadas, mas acredito que estamos evoluindo para o fim de toda essa situação. Não na velocidade e nas condições que gostaríamos, mas sim, estamos evoluindo. O maior dos desafios segue na Gestão de Pessoas. Nossa equipe é bastante qualificada e proporcionar um ambiente que os valorize, acolha, absorva suas ideias e os mantenha motivados é, para mim, o maior desafio. Esta crise afetou a todas as famílias e com a desses profissionais não foi diferente. Há claramente um maior nível de ansiedade em todos nós que tornam as decisões mais difíceis.


Precisamos avaliar com bastante calma e frieza qualquer ato antes de darmos um veredito final. O problema é que toda essa frieza tem que ser exercida em um momento bastante frágil das finanças da academia. Nosso número de alunos sofreu significativa redução. Trabalhamos neste período, de forma bastante corajosa, no sentido de elevar o nosso ticket médio, e foi isso que nos fez sobreviver a toda essa situação. Mas a equação é esta: Exigir um algo mais dos professores, para que possamos exigir um pouco mais nas mensalidades, sendo que os professores e os alunos estão sendo exigidos muito mais por todo o cenário que se apresenta, quer seja profissional ou financeiramente.


6- Qual a sua visão como empreendedor, para o mercado Fitness nos próximos anos?


O mercado fitness se profissionalizou de forma bastante abrupta. A chegada das grandes redes e consequentemente dos grandes empresários ao nosso segmento, promoveu mudanças radicais e a figura do “faz tudo”, na qual eu também me encaixava não tem mais espaço. Enxergo que o grande problema continua sendo o da dificuldade de expansão dos serviços para a população. Há anos, o percentual da população que pratica atividade cresce numa proporção infinitamente inferior ao de oferta de academias e serviços do fitness. As academias crescem em quantidade e qualidade, mas o número de clientes não. Isso ocasiona uma disputa, onde normalmente os pequenos, que não tem saúde financeira para suportar altos e baixos não resistem. Os alunos transitam, vão e voltam, sempre os mesmos, consequentemente fica difícil evoluir com consistência.

A aceleração pela busca do produto digital promovida pela pandemia foi muito forte e talvez esteja aí a grande tendência. A possibilidade de escala desse produto é quase que infinita e, se bem trabalhada, pode suprir os problemas de sazonalidade. De forma híbrida ou exclusiva, fato é que o atendimento digital chegou para ficar, e vejo esta como uma excelente opção para o mercado agora e nos próximos anos.

Puxando a brasa para o meu assado, também acredito no modelo “boutique”. Especialização de serviços e oferta em alto padrão. Procurar suprir o cliente de forma ampla. Identificar suas necessidades e suprí-las. Trabalhar assim com um ticket médio mais elevado, entregando excelência, exclusividade, fugindo da imagem de “ser mais um” dentro de uma academia grande.

Ainda há os nichos, as “tribos”. Crossfit, grupos de corrida, assessorias de triathlon, são especificidades nas quais as grandes redes ainda não conseguiram penetrar de forma tão significante. Para os pequenos empreendedores, com pequena capacidade de investimento, são uma excelente alternativa.


7- Quais as suas orientações, para os profissionais que queiram empreender na área da Educação Física?


Acho que cada caso é um caso. Além da trajetória profissional, também as possibilidades e anseios para o investimento são muito subjetivos. O que entendo ser fundamental, independente da opção, é a busca de um bom suporte jurídico e contábil. A carga tributária em nosso país é um dos maiores desafios para qualquer empreendedor e para nós, professores, que temos pouquíssimo contato com estes conceitos em nossa formação, essa dificuldade aumenta exponencialmente. Ainda na fase de planejamento, peça sugestões de profissionais, ouça mais de um e decida qual será o melhor enquadramento para o seu empreendimento. As variáveis são as mais diversas e temos que visualizá-las com suas consequências, antes de colocá-las em prática. Mesmo assim, não tenho dúvida que dificuldades virão, mas talvez com um suporte contábil robusto, elas poderão ser superadas sem maiores danos ao seu empreendimento.

Felipe, muito obrigado pela participação no Papo Empreendedor, onde desejamos muito sucesso a você e a todos os profissionais/empreendedores deste canal. Abraços a todos! Márcio Cardoso - Empreendedor Instagram: @marciocardoso_emp Sênior Felipe - @seniorfelipeferraz Academia Quantum - @academiaquantum


122 visualizações0 comentário