Professor Damian Souza: Não deixe que a Pandemia trave você. As oportunidades estão logo aí!


Pandemia não é motivo para ficar parado, para desistir e ficar reclamando da

vida! Sem dúvida alguma que o momento é delicado, estamos mais expostos e fragilizados por tudo que vem acontecendo. A carga negativa as vezes parece tomar conta e fazer com que o freio de mão esteja eternamente puxado. O Blog 100% Esporte trás aqui um exemplo de dedicação e perseverança.


O Professor e atleta de triatlo Damian Fuzer de Souza CREF 29943 G/RS se formou em Agosto de 2020 no IPA sendo a primeira geração de formados na Pandemia. No momento ele havia acabado em Abril seu estágio no SESC e tinha a missão de conseguir entrar no mercado de trabalho na maior crise econômica da história.


Vamos conversar e conhecer um pouco desta história.

Sigam o Damian no instagram:

@damiansouzapersonal

https://instagram.com/damiansouzapersonal?utm_medium=copy_link



Boa leitura!



1- A tua turma de formandos ficará marcada por ser a primeira da Pandemia. Qual a sensação de se formar neste período?


Primeiramente gostaria de agradecer a revista 100% esporte pelo convite para esta conversa. Fico lisonjeado em estar no meio de dois grandes profissionais da gestão e área esportiva. Quanto a formatura foi um momento turbulento, pois logo no inicio nada sabíamos como iam transcorrer as coisas, demorou um tempo para alinhar com a faculdade a colação de grau e oficialização do término do curso. Mantendo a serenidade e correndo atrás dos objetivos, ocorreu que no fim tudo deu certo.


2- Quais foram as alternativas que buscou para conseguir trabalhar pós formatura?


Em meio a crise percebi a oportunidade de que o trabalho de personal, especificamente em lugares abertos (praças e parques) tinha como momento a aumentar devido as restrições da pandemia para frequentar locais fechados (exemplo:academias). Procurei customizar bem o atendimento levando o melhor para o meu cliente/aluno, todos materiais possíveis para treinamento e colocando em prática algumas certificações internacionais e nacionais, alinhando um trabalho mais completo possível. Em menos de 2 meses consegui a meta de 18 alunos de personal, com empenho e seriedade vi que em meio a crise abaixar a cabeça não seria a solução, e sim a crise seria uma oportunidade para destacar alguns trabalhos. Mantive esta média até fim de novembro, quando me propus a iniciar o curso de Guarda Vidas Civil do Estado do Rio Grande do Sul, projeto este que sempre pensei em colocar em prática e no ano passado pude realiza-lo concomitantemente com a profissão de educador físico. O curso do CBMRS foi de extrema qualidade e valia, tanto profissionalmente quanto para aprendizado de vida. Foram cerca de 2 mil inscritos onde apenas 115 candidatos terminaram o curso, obtive a 10 colocação. Novamente com bastante disciplina e empenho, encarando longos dias de curso (21 dias) no mês de Dezembro e longe da família. Momento delicado pois meu pai teve COVID na época, mas nada me fazia pensar em desistir, tudo era combustível e como dizia o Tenente e o Capitão do meu pelotão, “era só vitória”. O curso enfatizou o que sempre pensei para vida e para profissão, devemos ser resilientes e saber extrair tudo que uma situação boa e principalmente uma ruim pode nos ensinar. O plus do curso é que pude manter alguns alunos por atendimento online.




3- Durante todo este período chegou o Bernardo, seu filho. Sem dúvida ele foi motivo de superação, uma motivação extra, correto?


Com certeza. Um filho muda demais a vida da gente, nos faz refletir e querer ser melhor cada vez mais e mais. Somos a referência para eles, logo fica a pergunta “O que queremos deixar de legado para nossos filhos”? O exemplo de desistir e fracassar, ou de querer nos tornar-mos melhor? Desde que ele nasceu sempre procuro aprender como pai e como pessoa, minha meta é ser 1% do que meus pais foram pra mim, e batalho neste quesito para que no futuro cresça um homem honesto e verdadeiro. Família é o nosso bem maior, fico realizado com essa contemplação de ter filho. Além dele tenho uma companheira sensacional, exemplo de mãe e profissional, logo estando entre pessoas do bem e que nos levam a querer ser melhores os resultados aparecem.


4- Você além da Faculdade de Educação Física é formado em Direito. A satisfação profissional e prioridade na tua vida?


Exatamente. Me formei na PUCRS pelo curso de Bacharel em Direito. Um ano depois resolvi realizar um objetivo que era me graduar em educação física. Não descarto trabalhar na area jurídica, mas por ora o que me faz realizado e atuar promovendo saúde e incentivando a prática de esportes, paixão esta que carrego desde pequeno.


5- Deixa um recado para aqueles que assim como você passaram dificuldades e pensam em desistir e acabam não indo em busca dos seus sonhos!


O momento em que vivemos é delicado, falta empatia em praticamente todas as relações. A vida é dura e não tem conversa, não tem moleza, mas é necessário ser mais forte do que ela e correr atrás dos nossos sonhos e objetivos. Um sonho bom é um sonho vivido. Por mais que as coisas demorem ou que as vezes sejam difíceis de ser realizadas é por que o sonho não é pequeno, se fosse fácil realizar sonhos todo mundo conseguiria. Isso requer muita disciplina e empenho, fazer a diferença, buscar sempre aquele 1% a mais. Não existe mistério, basta estudar muito e trabalhar para as coisas começarem a acontecer e obviamente ter um pouco de paciência. O imediatismo vem frustrando e derrubando sonhos, principalmente da nova geração. Vale lembrar que grandes exemplos não foram criados e construídas da noite pro dia. A receita é objetiva, não desistir jamais!! Particularmente ainda tenho muitos projetos para realizar, muitos me dão incertezas e receio, mas isto me faz sentir vivo e determinado a fazer acontecer. Abraço a todos e mais uma vez obrigado por esta conversa

125 visualizações1 comentário